Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

Ministério Público do Trabalho promoverá evento sobre racismo e intolerância religiosa reunindo intelectuais e quilombolas no DF

Compartilhe:

Agência Áfricas de Notícias – por Claudia Alexandre

A Escola Superior do Ministério Público da União (ESMPU)  em parceria estratégica com o  Ministério Público do Trabalho realizará entre os dias 28 a 30 de agosto, o Simpósio Nacional “Negro (a), afro-religioso (a), quilombola: Racismo e Intolerância Religiosa no Brasil e seus reflexos no mundo do trabalho”. O evento será em Brasília, no auditório do Centro Empresarial CNC (SAUN Quadra 5, Lote C, 2º subsolo), sede da Procuradoria Geral do Trabalho.

A atividade reunirá mais de 40 nomes de referência na área, entre especialistas, estudiosos, juristas, representantes de comunidades quilombolas, religiões africanas, movimento negro e entidades ligadas à temática. O simpósio  contextualizará a  a questão racial e religiosa no Brasil com abordagem histórica, antropológica, sociocultural e econômico-social e jurídica. Entre os convidados confirmados estão o jurista Dr. Hédio Silva Jr, Frei David, Humberto Adami Santos Jr. e as jornalistas e pesquisadoras Maitê Freitas e Claudia Alexandre.

De acordo com Orientadora Pedagógica do Simpósio, a Subprocuradora Geral do Trabalho, Edelamare Melo, esta iniciativa inaugura um marco no Ministério Público do Trabalho e da Escola Superior.  “O evento vai propiciar uma discussão intersetorial e transversal de questão tão delicada como é o racismo e a intolerância religiosa no Brasil contra negros(as), afro-religiosos(as) e quilombolas, que também se farão representar no evento ao lado de luminares do direito e de outras áreas da ciência”, reiterou a Subprocuradora.

 Na abertura do simpósio, dia 28/08, haverá uma homenagem ao professor Abdias Nascimento (poeta, dramaturgo, político, professor universitário e ativista dos direitos civis e humanos das populações negras, falecido em 2011) e a Marielle Franco (vereadora pelo Rio de Janeiro assassinada em março deste ano).  Também estão previstos a abertura das exposições fotográficas “Odoyá! Dia de festa no mar”, das fotógrafas Isabel Gouvêa e Valéria Simões, e “Herança Viva”, do fotógrafo Januário Garcia; além do lançamento da publicação em homenagem aos 15 anos de atuação da Coordigualdade do MPT. Haverá manifestações culturais das comunidades tradicionais de terreiro e dos quilombos.

Durante três dias serão mais de 20 palestras, divididas em seis painéis. Serão abordados temas como: escravidão negra e o mito da democracia racial; preconceito, racismo e intolerância religiosa; cotas raciais; genocídio do negro brasileiro; liberdade e intolerância religiosa no mundo do trabalho; relação entre racismo, intolerância religiosa, gênero e orientação sexual no mundo do trabalho; atuação do MPT e da Justiça do Trabalho na área; dano moral e desafios da reforma trabalhista; mito da imparcialidade e questões etino-raciais e religiosas; proteção constitucional do patrimônio material e imaterial das comunidades tradicionais de terreiro e dos quilombos; Direito Penal e proteção da igualdade racial, da liberdade religiosa e do patrimônio imaterial das comunidades tradicionais de terreiro e dos quilombos; defesa em juízo das vítimas de racismo e de intolerância religiosa; racismo estrutural e institucional; analise comparada da proteção à igualdade etno-racial e à liberdade religiosa; educação para as relações etno-raciais; relações e conflitos etno-raciais e religiosos; desmistificando as religiões de matriz africana; dentre outros.

Deixe seu comentário:

Colabore

envie-seu-artigo

Publicidade