Áfricas - A NOSSA agência de noticia preta

Sabado, 24 de Fevereiro de 2024

Movimento negro

Festival Gira traz o protagonismo dos tambores com programação alicerçada na ancestralidade negra

Repórter JB
Por Repórter JB
/ 125 acessos
Festival Gira traz o protagonismo dos tambores com  programação alicerçada na ancestralidade negra
Cortejo do Bloco Magia Negra - Crédito Estúdio TEJ
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

BAIXE agora o APP Áfricas  [ CLIQUE  AQUI ]
Siga nosso NOVO CANAL no WhatsApp 
Siga-nos no Instagram

No sábado, dia 04/11, a partir das 16h, o Festival Gira realiza sua 1ª edição no Galpão 54, e reúne programação cultural com música, dança com arrastão de banda de rua, DJs, show e samba de terreiro. A festa começa com uma edição especial do tradicional arrastão do Bloco Afro Magia Negra, acompanhado dos Clarins da Bahia (SSA).  A concentração será às 16h, no Mirante da Lagoinha, na rua Diamantina, com destino ao Galpão 54, onde se apresentarão DJs, Samba de Terreiro, a Banda de Palco do Magia Negra, com a participação de Sérgio Pererê, Celso Moretti, Angola Janga, Baianas Ozadas e a Roda, além das apresentações de DJAHI e DJ Preta ShowMe. Os ingressos do festival já estão disponíveis a preço popular no site GoFree, a partir de R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira). Toda programação e demais informações sobre o Festival estão na página do instagram @festivalgira.

Em um universo nutrido pela vozibilidade dos tambores ancestrais nasce o Festival GIRA. Criado para estimular a prática da ativação da melanina por meio da corpo oralidade estimulada pelos sons dos tambores de couro, sintéticos e eletrônicos, o evento traz a proposta de promover alegria, liberdade, saúde e descolonização dos corpos. A primeira edição do Festival GIRA – Tambores de Couro, contará com um ritual designer de estímulo à interatividade, alternando entre os ambientes abertos e fechados do Galpão 54 com atividades no chão e no palco. 

Tambores de couro em destaque

Publicidade

Leia Também:

Iniciando com arrastão do Bloco Afro Magia Negra, acompanhado dos Clarins da Bahia (SSA), já na entrada do Galpão 54 o público receberá um axé regado a banho de pipoca, aromas e sabores que lhe conduzirá até a GIRA, que segue o comportamento das danças anti-horárias presentes nas rodas e expressões culturais de matriz africana. 

O evento foi idealizado pelo artista Camilo Gan, as produtoras culturais Gabriela Gonçalves e Michela Oliveira, e o publicitário Filipe Thales. "O Festival Gira é uma experiência para todes, todas e todos os corpos. É pra dançar, interagir, e ativar a melanina com a energia e a voz dos tambores ancestrais", ressalta um dos idealizadores do festival, Camilo Gan. Em seguida, a programação traz a matriz da origem da energia n’samba Kalunga ressignificada no Brasil, com o grupo Samba de Terreiro convidando o Samba D'Ouro, Herança Ancestral e Samba de Quilombo. O público também vai curtir o som de blocos que arrastam multidões no carnaval de Belo Horizonte com show da Banda de Palco do Magia Negra convidando Sérgio Pererê, A Roda, Baianas Ozadas, Angola Janga e Celso Moretti. O comando da pista fica com DJ DJAHI e DJ Preta ShowMe.

A primeira edição do Festival GIRA – Tambores de Couro acontece no bairro Lagoinha não por acaso, como destaca Filipe Thales. "O Festival Gira vai acontecer em um território considerado a Pequena África de Belo Horizonte, onde a magia acontece. Escolhemos o espaço Galpão 54 que possui acessibilidade para idosos e pessoas com deficiência, ambiente climatizado e uma estrutura completa", destaca.

Inclusão e acessibilidade

Toda a programação do Festival Gira contará com a tradução simultânea em libras, garantindo o acesso da comunidade surda às atrações artísticas. O evento também contará com uma "Lista T" para assegurar a entrada gratuita de pessoas Trans e Travestis que tiverem interesse em participar da festa. Para garantir os ingressos é preciso enviar  um e-mail para contatofestivalgira@gmail.com informando o nome social, número de RG ou CPF. O Festival também receberá ainda doação de alimentos não perecíveis que serão recolhidos na portaria e destinados à entidades sem fins lucrativos de assistência social.

Este evento conta com recursos da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais,  patrocínio da CEMIG, e apoio do Afrormigueiro, INECAP e Xeque-Mate. A realização é do Bloco Afro Magia Negra, Viva Lagoinha, Infinito.Gal, Maracá e Governo do Estado de Minas Gerais.

SERVIÇO

Festival Gira: Sábado, dia 04/11, a partir das 16h.Atrações: 

Arrastão do Bloco Afro Magia Negra convida Os Clarins da Bahia 

Samba de Terreiro convida Samba D'Ouro, Herança Ancestral e Samba de Quilombo

Banda de Palco do Magia Negra convida Sérgio Pererê, A Roda, Baianas Ozadas, Angola Janga e Celso Moretti

DJAHI e DJ Preta ShowMe

Local: Arrastão com concentração do bloco, às 16h, no Mirante da Lagoinha (Rua Diamantina) | Evento no Galpão 54 (Rua Francisco Soucasseaux, 54, Belo Horizonte)Ingressos a preços populares: R$ 15 (meia) e R$ 30 (inteira) | Vendas: GoFree 

Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais - CA 218.13606.0468

Patrocínio: CEMIG

Apoio: Afrormigueiro, INECAP e Xeque-Mate. 

Realização: Bloco Afro Magia Negra, Viva Lagoinha, Infinito.Gal, Maracá e Governo do Estado de Minas Gerais/Governo Diferente-Estado Eficiente

Comentários:
Repórter JB

Publicado por:

Repórter JB

Colaborador(a)

Saiba Mais