Circula nas redes sociais um vídeo de passageiros revoltados com uma mulher que teria proferido uma série de ofensas raciais no metrô em Belo Horizonte neste domingo. Em meio a pedidos para removê-la do vagão, o tumulto é interrompido pela segurança quando a porta se abre numa estação. A mulher foi presa em flagrante e autuada pelo crime de injúria racial, informou a Polícia Civil de Minas Gerais.

A família ofendida — composta pela mãe de 52 anos, o pai de 55, e a filha, 25 — contou aos policiais que a passageira começou a lhes dizer injúrias raciais como "negros fedidos", "crioulos fedorentos", "raça impura" e que eles "não deveriam estar dentro do metrô". Testemunhas confirmaram esta versão e apresentaram o vídeo com parte da confusão.

Segundo a Polícia Militar de Minas Gerais, o episódio ocorreu por volta das 15h no bairro Santo Inês. A autora, de 54 anos, negou ter dito ofensas raciais, mas admitiu que houve uma discussão com uma família em determinado momento da viagem, alegando que o grupo teria jogado água em sua roupa.

"Acabei de chutar a porta do metrô, pisotear o banco e tacar as coisas da racista que simplesmente falou que era racista sim dentro do vagão", disse a internauta, chamada Lara Macedo. "Não parei de escandalizar enquanto ela não foi posta pra fora! Joguei as coisas dela longe, e gritei QUE ELA NÃO IA FICAR NESSE VAGÃO!!!!!", acrescentou.

Ao GLOBO, a jovem de 23 anos afirmou que estava um pouco distante da autora das ofensas quando começou a confusão. Ela então se aproximou e percebeu que a mulher estava desacompanhada. Após algumas tentativas para fazê-la sair, Lara disse que, por fim, ela acabou sendo retirada do vagão.

"Ouvi quando as duas moças começaram a acusar que aquilo era racismo. Aí ela disse “sou racista sim” na maior naturalidade", disse Lara. "Aí fui lá e comecei todo o escândalo, o metrô parou, o segurança entrou e pediu pra ela sair e ela não saiu. Daí ele ficou parado em frente a ela e o metrô começou a andar. Aí eu falei que não era pra ela ficar no metrô. Que país é esse? Que ela diz ser racista e viaja no metrô? Que era pra ela sair: continuei gritando escandalizando."

De acordo com a Polícia Civil, a mulher de 54 anos foi encaminhada ao sistema prisional, onde segue à disposição da justiça, após os trabalhos de polícia judiciária.