Áfricas - A NOSSA agência de noticia preta

Segunda-feira, 15 de Julho de 2024

Entrevista

O poder transformador do feminismo de Angela Davis

Thays Andrade
Por Thays Andrade
/ 339 acessos
O poder transformador do feminismo de Angela Davis
IMPRIMIR
Espaço para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.

BAIXE agora o APP Áfricas  [ CLIQUE  AQUI ]
Siga nosso NOVO CANAL no WhatsApp 
Siga-nos no Instagram

Sentenças com penas longas não resolvem o problema estrutural da violência e não garantem justiça, de acordo com Angela Davis. A filósofa e ativista está no Brasil para lançar seu novo livro, "Abolicionismo. Feminismo. Já.", onde propõe um modelo alternativo de segurança que priorize moradia, assistência médica e saúde mental. O feminismo abolicionista busca uma justiça não vingativa e a construção de um futuro mais harmonioso. Acompanhe a entrevista exclusiva com Angela Davis e entenda suas ideias revolucionárias.

Angela Davis ressalta que a justiça vingativa, presente na maioria dos sistemas judiciários ao redor do mundo, afeta as emoções das pessoas. Ela defende a necessidade de olhar para um tempo em que a justiça seja construída com base na harmonia e no bem-estar, em contraposição ao sistema atual. O livro "Abolicionismo. Feminismo. Já." é resultado da colaboração entre Angela Davis, Gina Dent, Erica Meiners e Beth Richie, referências nos estudos de gênero e raça. A obra será lançada no Brasil durante o XVIII Congresso Internacional da ABRALIC, em Salvador.

No Brasil e nos Estados Unidos, países com altos índices de encarceramento, o abolicionismo penal ganha força como uma proposta de transformação do sistema penal. Angela Davis destaca que o encarceramento em massa não soluciona as raízes da violência na sociedade e defende a adoção de políticas que promovam moradia, assistência de saúde, especialmente saúde mental, e educação como alternativas à punição. O objetivo final do feminismo abolicionista é o fim das prisões, da justiça vingativa e das forças policiais, visando uma sociedade mais equilibrada e livre.

Publicidade

Foto: Agência Pública

Hashtags: #AngelaDavis #JustiçaNãoVingativa #FeminismoAbolicionista #Representatividade #MudançaSocial

Comentários:
Thays Andrade

Publicado por:

Thays Andrade

Jornalista

Saiba Mais