Áfricas - Sua fonte de notícias da comunidade negra

Sexta, 01 de julho de 2022

Racismo

Advogada Fayda Belo sofre ataque racista durante evento online: "Até quando?"

Fayda Belo palestrava no "Negritar" quando começou a receber comentários preconceituosos e criminosos

88
Imagem de capa
A-
A+
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

A advogada capixaba Fayda Belo foi alvo de ataques raciais e misóginos durante a sua participação no "Negritar", um evento hibrido para músicos negros que aconteceu em Vitória durante o último fim de semana. O encontro deu visibilidade para as produções artísticas da cultura negra e debateu questões raciais.

Durante a transmissão da palestra de Fayda, algumas pessoas usaram o espaço de interação nos comentários para fazer declarações preconceituosas e xingamentos. Em uma rede social, a advogada desabafou: 

"Sofri ataques racistas e misóginos durante a minha palestra no evento Negritar no final de semana. As medidas judiciais já estão sendo tomadas", disse.

Fayda exemplificou alguns dos comentários que recebeu para os seguidores. Os agressores também usaram sons de macacos para interromper a apresentação da advogada.

"Vocês são todos macacos". "Negros f******". "Isso é uma reunião de zoológico". "Passaram carvão nela". "Quer banana?". "Vou g**** dentro da sua boca". 

Especialista em crimes de gênero, direito antidiscriminatórios e feminicídios, a advogada também é um fenômeno na internet. Com mais de 175 mil seguidores apenas no Instagram, ela comenta e explica de forma lúdica alguns temas jurídicos. 

O crime do qual foi vítima também foi utilizado para a produção de conteúdo. No vídeo postado na noite desta terça-feira (31), Fayda destaca que os ataques que sofreu foram criminosos e pede por justiça. 


"Eu fui atacada. Eu fui violentada. Eu fui objetivada enquanto mulher preta. Fui discriminada enquanto pessoa preta. Me compararam a um macaco, me ofereceram uma banana. Se doeu? Claro que doeu, mas para além disso, isso é crime. Até quando vão achar que isso é pouca coisa? Até quando não vão punir essa violência contra nós? (...) Espero que esses criminosos sejam encontrados, processados e punidos, porque a gente não aguenta mais ver nossa dor ser minimizada. Racismo é crime e lugar de racista é na cadeia", declarou.

Fui objetificada, discriminada e violentada enquanto palestrava.
Até quando? pic.twitter.com/bCjuFuXGcK

— Fayda Belo⚖️📚 (@faydabelo) June 1, 2022
O evento onde os ataques aconteceram teve apoio da Secretária Estadual de Cultura. O governador do Espírito Santo, Renato Casagrande, lamentou o episódio e frisou que racismo é crime.

"Toda solidariedade à advogada Fayda Belo e ao evento Negritar pelos covardes ataques racistas sofridos neste fim de semana. Apoiado pela nossa Secretaria da Cultura, o evento trouxe qualificação para dezenas de empreendedores negros. Todas as medidas estão sendo tomadas. Racismo é crime".

Fayda disse que procurou a delegacia e registrou uma notícia-crime. O Folha Vitória questionou a Polícia Civil sobre a investigação do caso, mas até a publicação não tivemos retorno. A reportagem será atualizada quando recebermos um posicionamento.

Fonte/Créditos: Redação Folha Vitória

Créditos (Imagem de capa): Foto: Reprodução / Instagram

Comentários:

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )